Sistema Osteoarticular

Explicação em sala de aula – parte 1
Explicação em sala de aula – parte 2

Os ossos possuem muitas funções dentro de nós, vai além de proteger outros orgãos importantes e sustentar o corpo: armazenam íons de cálcio e fósforo, utilizados na própria estrutura e disponível para liberar ao corpo; produzem células mãe na medula óssea, que origina outras células importantes como as do sangue; nos permite a movimentação através das articulações; e é apoio para a fixação dos músculos.

Conforme envelhecemos é quase certo as alterações da nossa fisiologia corporal, sendo um dos exemplos a diminuição da absorção de cálcio pelo organismo. Isso conduz a Osteopenia, fase que antecede a Osteoporose. Os ossos ficam mais fracos e suscetíveis a fraturas. Fatores hereditários acentuam essa condição.

Má formação são relativamente incomuns, dentre as patologias temos: falha no desenvolvimento de um osso, formação de ossos extras (supranumerários), fusão de dois dedos adjacentes (sindactilia), formação de dedos longos (aracnodactilia).

Os tumores primários ocorrem raramente, quando ocorre costuma atingir adolescentes do sexo masculino entre 10 e 14 nos no osso Fêmur, chamado de Osteosarcoma. Já os tumores secundários se originam a partir da circulação sanguínea, mas há também tumores benignos.

Nas demais doenças das osteoarticulações podemos investigar se é por: histórico familiar, raça branca, escoliose, menopausa precoce e Síndrome de Cushing. Essas são de causas genéticas e biológicas.

Já as de causa comportamentais e ambientais investigar se origem pode ser: Alcoolismo, Tabagismo, inatividade, sedentarismo, má nutrição, baixa ingestão de Cálcio, Amenorreia por excesso de exercício, uso prolongado de corticoides.

Na coluna vertebral, podemos não sentir sintomas inicialmente e já dispor em algum problema. Pode haver a fratura de alguma vértebra, diminuição da densidade óssea ou perda da altura com a Cifose associada. Depois de um tempo a dor tende a ser generalizada.

Para o tratamento, assistência em enfermagem e prevenção é recomendado: nutrição adequada, prática de exercícios, ingestão de cálcio e vitamina D. Mulheres na menopausa devem fazer reposição hormonal.

Podendo afetar a coluna Cervical, coluna Torácica ou a coluna Lombar temos a Hérnia de Disco. Esta, pode ser causada por: Traumatismo, quedas, acidentes automobilísticos, esforços repetitivos.

Quando ocorre Hérnia de Disco Cervical se sente dores e rigidez: na nuca, ombros e escapula, dificuldade de movimentação dos MMSS com sensação de formigamento. Se for Lombar, alem de dores lombares: dor em quadril e coxas, irradiando para panturrilha e tornozelos, algia acentuada ao expirar e levantar peso, deformidade postural da coluna, dificuldade para deambular e flexionar a coluna.

Para o tratamento, assistência em enfermagem recomendado: manter em repouso relativo; aplicar calor local; colchões firmes e colar cervical de espuma; usar corticoides, relaxantes musculares e analgésicos, fisioterapia, fazer cirurgia.

A Coluna Vertebral pode apresentar algumas anormalidades: na Cifose o indivíduo apresenta ombros caídos e acentuada curvatura crânio-torácica; na Lordose o indivíduo apresenta grande curvatura da coluna lombar para frente; e a Escoliose, que é o desvio da coluna para o lado.

Laminectomia é o procedimento cirúrgico para a remoção de uma ou mais lâminas vertebrais, a Exérese é uma manobra cirúrgica utilizada para retirar uma parte ou a totalidade de um órgão. Dito isso, são os cuidados pré-operatórios:

  • Jejum de 12 horas;
  • Orientações, ensinar a girar o corpo;
  • Tricotomia 2 horas antes da cirurgia;
  • Banho com Clorexidina Degermante;
  • Proteger região tricotomizada;
  • Retirar jóias, piercings, esmaltes, prótese dentária;
  • Administrar pré-anestésico CPM (Conforme Prescrição Médica);
  • Controlar SSVV (sinais vitais);
  • Efetuar as anotações em enfermagem.

Já os cuidados pós-operatórios:

  • Manter cama de operado;
  • Realizar prevenção de queda;
  • Utilizar maca para transporte até a cama com 4 pessoas e em bloco;
  • Manter DDH (Decúbito Dorsal Horizontal) até segunda ordem;
  • Verificar SSVV a cada 30 segundos;
  • Cuidados com a SVD (Sonda Vesical de Demora);
  • Mensurar o débito, aspecto da diurese, aspecto do curativo;
  • Controlar o gotejamento do soro CPM.

Vale reforçar, a diurese (urina) pode apresentar, do bom para o pior, a seguinte aparência: amarela, amarelo citrino, alaranjado, hematúrico, e colúrica (marrom escuro).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *